vialgarve
Visite a nossa página vialgarve
quinta-feira, março 22, 2007
 
Semana V - Assunto: ""Allgarve" é nova marca para o marketing do Sul do país"
"Allgarve" é nova marca para o marketing do Sul do país

Jorge Nascimento Rodrigues

Governo vai investir três milhões de euros em 2007 para cativar turismo de qualidade.

Manuel Pinho acredita que nos próximos três anos o turismo algarvio vai aliciar mercados mais competitivos
O Ministro da Economia apresentou hoje, em Lisboa, na Feira "Algarve Convida", um novo conceito de marketing que o Turismo de Portugal vai desenvolver durante três anos, com um primeiro orçamento de três milhões de euros para 2007.
A magia do acrescento de um «l» na palavra Algarve deverá permitir um marketing internacional mais agressivo, usando o "all" – palavra inglesa para tudo – como chamariz para um turismo de qualidade multifacetado no Sul do País.
O objectivo, segundo o ministro Manuel Pinho, será a focalização na atracção de turistas para eventos de qualidade artística, para o golfe e para investimento em segundas residências no Algarve.
Expresso on-line 16.03.2007

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
Mendes Bota exige suspensão marca Allgarve, que diz ser ofensa aos algarvios

O deputado e líder do PSD/Algarve Mendes Bota exigiu hoje a suspensão da nova marca Allgarve, apresentada sexta-feira pelo ministro da Economia, que diz ser uma "ofensa" para o povo algarvio, até que se redefina outra designação.
O programa de valorização turística algarvio, que integra a nova marca Allgarve e tem três milhões de euros para animação e promoção, foi apresentado por Manuel Pinho na inauguração da feira "Algarve Convida", em Lisboa. Em comunicado, Mendes Bota classifica a criação da marca como "mais um atentado do poder central contra a região" e diz que há muitas décadas que a marca Algarve está consolidada no mercado."Proceder a esta alteração só poderá servir para destruir um 'brand name' que, a par do vinho do Porto, é dos poucos de que Portugal se pode orgulhar à escala mundial", afirma o social-democrata. Apesar de reconhecer mérito no conteúdo da campanha promocional, Mendes Bota rejeita veementemente o título Allgarve, que considera tratar-se de "mais uma descaracterização cultural da região" e uma manifestação de "péssimo gosto" e "falta de bom senso". Ainda mais, acrescenta, quando é apresentada por um ministro que, depois de "colocar em risco o Algarve às mãos dos magnatas do petróleo", se permite "derramar dinheiro a brincar com o nome do Algarve e dos algarvios", que passarão a chamar-se "all-garvios". Mendes Bota pediu ainda a todos os autarcas do PSD representados na Região de Turismo do Algarve (RTA) que convoquem uma reunião daquele órgão para repudiar a campanha e recusar colaborar com ela, até que seja reposta a "dignidade" e o "respeito" pelo nome da região. O programa apresentado por Manuel Pinho advém de investimentos da responsabilidade do Turismo de Portugal e destina-se a concretizar um conjunto de eventos de diversas áreas com o objectivo de "oferecer experiências marcantes em vários domínios" aos visitantes. Por isso, a opção pela marca Allgarve, reflectindo diversidade, glamour e credibilidade, é acompanhada do slogan "experiências que marcam", num programa que vai prolongar-se, pelo menos, por três anos, como garantiram os responsáveis governamentais do sector.
17 de Março de 2007 14:07lusa /Barlavento

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
Marca Allgarve gera polémica
Sofia Cavaco Silva
2007-03-21 - A polémica e a indignação instalaram-se, no passado fim-de-semana, após o anúncio de que o Governo vai investir cerca de três milhões de euros em promoção no Algarve, sob a marca "Allgarve" e outros três milhões na realização de eventos na região. As reacções não se fizeram esperar entre os responsáveis políticos e do sector turístico da região. "Desejo expressar publicamente o meu vivo repúdio por mais um atentado do poder central contra a região que, segundo pomposa campanha (…) apresentada pelo ministro da Economia, Manuel Pinho, deixará de ser conhecida internacionalmente por Algarve, para se chamar "Allgarve", foi a primeira reacção do líder do PSD Algarve e deputado da Assembleia da República, Mendes Bota. Apesar de não negar os méritos dos conteúdos da campanha promocional, Mendes Bota, sublinha que só o "título merece-me uma profunda rejeição". Um título que considera destruir a marca "Algarve" consolidada ao longo de décadas e que o deputado diz ser "uma manifestação de péssimo gosto e falta de bom senso, paga a peso de ouro, e apresentada por um ministro que, depois de colocar em risco o Algarve às mãos dos magnatas do petróleo, se permite derramar dinheiro a brincar com o nome do Algarve e dos algarvios, que, seguindo o seu desqualificado conceito passarão a chamar-se "all-garvios". Perante estes argumentos, Mendes Bota garantiu que vai requerer a suspensão da campanha até que se redefina um slogan que não seja ofensivo para o povo do Algarve. Em declarações ao Jornal do Algarve, o presidente da Grande Área Metropolitana do Algarve (AMAL), Macário Correia, mostrou-se igualmente chocado com o nome da campanha. Sublinhando a importância do bom senso e discernimento para quem ocupa cargos públicos, nomeadamente do ministro da Economia, Macário Correia considera que "aparentemente" Manuel Pinho não está na melhor situação para tomar decisões sobre os dinheiros públicos. Apesar de não estar para já marcada nenhuma reunião de extraordinária na AMAL sobre esta matéria, Macário Correia não nega a possibilidade de na próxima reunião, este ser um tema que esteja na ordem de trabalhos.
Jornal do Algarve, 21.03.2007


***************************************************
Comentários:

Preferia que a iniciativa fosse de associações empresariais, ainda que com apoio público.
Decisões de gabinete e tomadas por funcionários públicos não costumam ser a melhor solução.

Pode fazer sentido se:
a) For uma peça num conjunto;
b) Tiver continuidade;
c) Servir para surpreender, deixando para futuras acções algo mais concreto.

Se falha a):
Estaremos a destruir uma imagem pouco trabalhada mas forte e a construir uma outra que não se sabe ainda o que será.

Se falha b):
Asneira da grande. Começa-se um trabalho de reposicionamento e fica a coisa a meio, em sítio nenhum.
E sabemos como o Estado é tão useiro em começar com grande força e cortar verbas no orçamento seguinte...

Se falha c):
A imagem que ficará é: o Algarve é tudo, mas nada apresenta de concreto.

Falta-me saber muito sobre a coisa.
Para mim, esse dinheiro faria mais sentido se fosse usado para manter uma RTA forte e actuante.
Mas como estou pouco informado - falha minha - não quero tomar uma posição mais definida neste momento.

Renato N. Pereira
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
Penso que a preocupação do Governo com a promoção turística do Algarve é benéfica para a região e merecida. Afinal de contas as receitas geradas pelo turismo algarvio dão um grande jeito ao Estado Português.
Os 3 milhões são bem-vindos e até mereciamos mais.
É uma parvoice criar o nome ALLGARVE, seja como sub-marca, seja lá o que for. O Algarve é uma região com identidade própria e forte (lembram-se do Reino de Portugal e dos Algarves...) e não gosta que façam trocadilhos para inglês ver com o nome da sua região.
Primeiro mudem o nome a Lisboa (LisGOOD), ao Ministro Pinho (Pine) e ao Eng. Sócrates (OnlyCrates)!!!
E afinal o nome allgarve já existe há vários anos... Vejam o site ...http://www.allgarve.biz/

João Nuno Neves

Powered by Blogger

Weblog Commenting by HaloScan.com